Fundo em Destaque


Fidelity Funds - Global Financial Services Fund E-Acc-EUR

LU0114722738


Destaques

  • Fundo de investimento setorial em ações de empresas prestadoras de serviços financeiras.
  • Uma potencial subida das taxas de juro permitirá uma melhoria das margens do setor financeiro.
  • Nos Estados Unidos parece existir um consenso para reduzir o esforço regulatório imposto após a crise de 2008.
  • Novas empresas fintech apresentam oportunidades de investimento interessantes.



O Fundo

Portefólio de
55 a 75 títulos
Fundo procura investir em empresas de qualidade presentes em mercados em crescimento e com ambiente regulatório favorável.
Fundo é comparado ao índice MSCI ACWI Financials, existindo limites ao desvio face à sua composição.
Criado em 2000



Porquê Investir no Setor Financeiro?

1: Subida das Taxas de Juro

Em 2008, de forma a fazer face à crise, a Reserva Federal Americana (FED) reduziu a taxa de juro de referência nos Estados Unidos para 0%. O Banco Central Europeu (BCE) começou também a reduzir as taxas de depósito e de refinanciamento nessa altura, tendo atingido respetivamente os -0.4% e os 0% em março de 2016.

As taxas baixas e negativas tendem a ser prejudiciais para o setor financeiro, que vê assim a rentabilidade dos seus depósitos a diminuir significativamente. Em particular, bancos que continuem por razões comerciais a remunerar os depósitos dos seus clientes serão particularmente atingidos.

Com as expetativas de crescimento e inflação a subir para os próximos anos, é expetável que os Bancos Centrais revejam as suas políticas expansionistas e comecem a aumentar as taxas de juro de referência de forma a evitar um sobreaquecimento das economias. A FED tem vindo a aumentar a taxa de juro já desde 2015, mas deverá acelerar o ritmo de subidas este ano. O BCE deverá fazê-lo a partir de 2019.

O retorno a níveis mais elevados das taxas de juro de referência deverá ser benéfico para empresas do setor financeiro. O Fundo tem procurado encontrar empresas em que o impacto possa ser mais significativo.
 



2: Desregulação nos Estados Unidos

Existem já propostas concretas em discussão no Congresso norte-americano, que visam a redução da apertada regulação que foi imposta sobre o setor financeiro nos anos após a crise de 2008. Entre as medidas – que têm merecido a aprovação de membros de ambos os grandes partidos americanos – destacam-se aquelas que diminuem as reservas de capital obrigatórias sobretudo a instituições financeiras de tamanho médio e pequeno.

Ao impor rácios de capital mais baixos, espera-se que as instituições norte-americanas fiquem com mais recursos para investir e emprestar aos seus clientes, aumentado a sua atividade, mas também que tenham uma maior capacidade de pagar dividendos aos seus acionistas.

3: Lucros Recorde de Wall Street

Os grandes bancos de Wall Street apresentaram lucros recorde para o primeiro trimestre de 2018, tendo em muitos casos excedido as expetativas dos analistas. Segundo o Financial Times, o JPMorgan Chase apresentou um resultado líquido de 8,7 mil milhões de dólares e o Goldman Sachs e o Morgan Stanley de 2,7 mil milhões. Entre as razões para os bons resultados apresentados estão o reanimar das atividades de trading, mas também o impacto positivo da reforma fiscal americana. Os bons resultados do setor podem animar os investidores.

4: Novas Tendências: Fintech e Mercados Emergentes

O gestor do fundo tem procurado também posicionar o seu portefólio para beneficiar de novas tendências. Assim, tem procurado criar exposições a empresas tecnologicamente disruptivas no setor – as Fintech – e a instituições financeiras em mercados emergentes.

As primeiras têm um grande potencial de crescimento e valorização. Os seus modelos de negócio tendem a ser inovadores e frequentemente muito eficientes. Empresas como a Paypal, a Betterment ou a Transferwise atingiram já um grau de implementação alargado.

As instituições financeiras em mercado emergentes poderão por sua vez beneficiar do crescimento das classes médias nestas economias, que tendem a necessitar de mais e melhores serviços financeiros.



O Universo de Investimento

O universo de empresas que prestam serviços financeiros é extenso e inclui empresas dos seguintes ramos de atividade:
 
 

Bancos

Seguradoras

Mercados de Capitais

Diversificadas e Fintech

Crédito ao Consumo

Bancos comerciais e
de retalho (locais e globais)
 
Hipotecárias
Saúde e Vida
 
Propriedade
 
Planos de Reforma
Custodiantes e
Gestores de Ativos
 
Bancos de investimento e brokers
 
Gestão de Fortunas

Bolsas
 
Agências de rating
 
Tecnológicas Financeiras

Serviços de Créditos
 
Serviços de Pagamento


Descrição do Portefólio


 
Dados a 31 março 2018.


Histórico

201820172016201520142013
Retorno Anual-3,02%
8,48%7,44%12,45%17,24%17,23%

Dados a 28 fevereiro 2018.



 
Consulte as Informações Fundamentais aos Investidores e o Prospeto. Página atualizada a 02 maio 2018.


Informação Legal
 
O subfundo mencionado é parte da SICAV FIDELITY FUNDS, uma sociedade de investimento de capital variável sediada no Luxemburgo (Société d'Investissement à Capital Variable), legalmente constituída e a operar em conformidade com as leis do Luxemburgo e com a Diretiva 2009/65/EC do Conselho, de 13 de julho de 2009. Este é um material publicitário e não divulga todas as informações pertinentes relativas ao subfundo apresentado. Para mais informações sobre riscos de investimento associados a este subfundo, consulte o Prospeto e documento de Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI).

A informação aqui contida foi selecionada pelo Banco Carregosa a partir de fontes reputadas como fidedignas.
 
A gestão do fundo Fidelity Funds - Global Financial Services Fund E-Acc-EUR é da inteira responsabilidade da FIL Investment Management (Luxembourg) S.A.
 
A seleção dos fundos em destaque realizada pelo Banco Carregosa não constitui qualquer oferta, recomendação ou solicitação para a transação de qualquer instrumento financeiro.
 
O potencial investidor é responsável pelas suas decisões de investimento, devendo considerar, de modo cuidado, os seus objetivos de investimento, situação financeira, tolerância e capacidade de suportar o risco do investimento nos instrumentos financeiros em causa.
 
O investimento no fundo Fidelity Funds - Global Financial Services Fund E-Acc-EUR pode implicar a perda do capital investido.

A da FIL Investment Management (Luxembourg) S.A. pode partilhar com o Banco Carregosa, na qualidade de distribuidor, uma parte das Comissões de Gestão e/ou Distribuição cobradas pelo fundo, bem como oferecer benefícios não monetários. Entendem-se por benefícios não monetários o acesso a documentos de pesquisa e de recomendação de investimento e o acesso a colaboradores do Banco Carregosa a conferências e formações organizadas pela da FIL Investment Management (Luxembourg) S.A. Em todo o caso, o recebimento destas comissões não põe em causa a independência do Banco Carregosa na avaliação e seleção dos fundos de investimento.
 
A rentabilidade passada não constitui garantia de rentabilidade futura.
Os campos assinalados com ( ) são de preenchimento obrigatório