Go back
11 June 2013 11h30

Alterações regulatórias na Roménia limitam potencial de crescimento do mercado e penalizam EDP Renováveis

O governo romeno aprovou mudanças na regulação do sector das energias renováveis no país, limitando a capacidade de produção em termos anuais. As alterações já eram antecipadas pelo mercado mas, ainda assim, os analistas antecipam que esta medida tem um impacto negativo para a EDP Renováveis e destacam que a nova regulação poderá limitar o potencial de crescimento do mercado de energias alternativas.
 
“O facto de passar a existir uma limitação anual da nova capacidade poderá limitar o potencial de crescimento que o mercado apresenta”, escreve o Caixa BI numa nota de “research”, em comentário às alterações regulatórias na Roménia.
 
A EDP Renováveis informou esta terça-feira em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) que o governo romeno implementou modificações para o sector, que entram em vigor já no início de Julho.
  No final de Março, a EDP Renováveis tinha 311 MW de energia eólica e 39 MW de energia solar na Roménia, o que representa 4% da capacidade global da empresa liderada por Manso Neto.  A ANRE, regulador para o sector na Roménia, “irá limitar, numa base anual, a nova capacidade ao abrigo do mecanismo de CV (certificados verdes) à capacidade instalada cumulativa que será definida anualmente por 'Decisão Governamental' segundo uma actualização do Plano Nacional de Acção para as Energias Renováveis da Roménia”, adianta a empresa no mesmo documento.
 
Também a remuneração irá sofrer alterações, com a ANRE a monitorizar, “com base semestral, a rentabilidade dos projectos para aferir se o número de CV para novos activos deverá ser ajustado”.
 
O Caixa BI considera que as alterações são “negativas” para a empresa, “embora com impacto limitado dado o peso do mercado romeno no portefólio da EDP Renováveis”.
 
Também o BPI diz que a nova regulação tem um impacto “neutral a negativo” para os títulos. “Apenas estamos a considerar nova capacidade na Roménia em 2013, sem nova capacidade no futuro, assumindo uma posição mais conservadora depois dos cortes de remuneração”, explicam os analistas.
 
O BPI avalia a EDP Renováveis com uma recomendação de “comprar” e um preço-alvo de cinco euros, um “target” que já incorpora estas mudanças na regulação.
 
No final de Março, a EDP Renováveis tinha 311 MW de energia eólica e 39 MW de energia solar na Roménia, o que representa 4% da capacidade global da empresa liderada por Manso Neto.