Go back
09 May 2013 16h49

BES contraria BCP e deixa bolsa em terreno negativo

A bolsa de Lisboa terminou a sessão de quinta-feira, 9 de Maio, em terreno negativo embora com uma queda muito ligeira.
 
O índice de referência da praça nacional deslizou 0,03% para os 6.264,25, mantendo a tendência de baixa já ontem verificada. O PSI-20 caiu apesar de 12 das suas 20 cotadas terem avançado devido, essencialmente, à desvalorização do BES.
 
Na Europa, as bolsas negociaram sem grandes variações. O Stoxx Europe 600 somou menos de 0,1%, mantendo-se perto do máximo de Junho de 2008 que tem vindo a ser revisitado.
 
Os investidores estão a consolidar os ganhos obtidos ou, como comenta à Bloomberg o estratega da Market Securities, Stephane Ekolo, estão a “fazer uma pausa”. Além disso, várias bolsas da Europa Central e do Norte estiveram hoje encerradas para feriado, o que poderá ter retirado alguma liquidez dos mercados, com a ausência de investidores.
 
Em Lisboa, a sessão bolsista começou negativa mas, pelas 14h30, inverteu a tendência e passou para o verde. No fecho, o PSI-20 não aguentou o sentimento e recuou.
 
O BES, depois de ontem ter caído mais de 10%, cedeu hoje 1,94% para os 0,809 euros. O banco esteve a perder na sessão mais de 7%. O JPMorgan e o BPI Equity Research reviram em baixa as avaliações que fazem das acções do banco liderado por Ricardo Salgado, depois de este ter reportado prejuízos inesperados de 62 milhões de euros referentes ao primeiro trimestre de 2013.
 
Na banca, só o Banif também encerrou em baixa, caindo 0,86% para os 11,5 cêntimos. O BCP conseguiu subir 0,96% para os 10,5 cêntimos e foi a cotada que impediu uma quebra mais intensa do PSI-20. O BPI ganhou 0,62% para terminar nos 1,128 euros.
 
EDP contraria EDP Renováveis
 
A contribuir para a queda de Lisboa esteve, além do BES, a EDP. A eléctrica nacional deslizou 0,50% para os 2,606 euros. Em sentido inverso negociou a EDP Renováveis, que ganhou 0,98% para os 4,13 euros.
Com os preços do petróleo nos mercados internacionais em baixa, a Galp Energia recuou 0,16% para os 12,54 euros.
 
A Sonae, que apresenta hoje os resultados depois do fecho da sessão, subiu 1,07% para os 0,758 euros. A concorrente Jerónimo Martins perdeu 0,06% para os 18,04 euros.
 
Resultados animam Zon e Altri
 
Nas telecomunicações, a Zon Multimédia foi animada pelos resultados trimestrais, que contrariaram a quebra que era esperada pelos analistas. As acções da operadora subiram 0,86% para os 3,50 euros. O lucro da operadora, que se encontra em processo de fusão com a Optimus, subiu 12,5% para 11,6 milhões de euros. Já a Sonaecom valorizou-se 1,41% para fechar nos 1,795 euros. A Portugal Telecom encerrou inalterada nos 3,97 euros.
 
A Altri subiu 1,82% para os 2,015 euros, depois de ter reportado um crescimento do resultado líquido para 14,2 milhões de euros, excedendo o que era previsto pelos especialistas que cobrem a cotada.
 
A Portucel terminou o dia sem alterações nos 2,82 euros. A empresa realizou uma emissão de dívida em que arrecadou 350 milhões de euros, acima dos 250 milhões inicialmente previstos. Além disso, a rentabilidade oferecida foi de 5,375%, abaixo dos 5,5% propostos.
 
(Notícia actualizada às 16h53 com mais informações)