Go back
11 June 2013 16h47

Bolsa de Lisboa não escapa a perdas europeias apesar de subida da banca

A Bolsa de Lisboa não evitou o pessimismo que assombrou os mercados mundiais na segunda sessão desta semana. A Jerónimo Martins e a Portugal Telecom lideraram as desvalorizações. BES, BCP e BPI evitaram que a descida do PSI-20 fosse mais expressiva do que a que se verificou.
 
O índice de referência da praça nacional perdeu 0,69% para 5.766,90 pontos, num dia em que chegou a recuar mais de 1% para tocar na pontuação mais baixa desde 18 de Abril. Das 20 cotadas que compõem o PSI-20, 15 marcaram desvalorizações.
 
Na Europa, o dia foi igualmente de descidas. O índice geral Stoxx Europe 600 recuou 1,2%.
 
A política monetária esteve, tal como tem acontecido, entre as principais responsáveis pela tendência negativa. O Banco do Japão não anunciou novos estímulos para a economia nipónica e teme-se que a Reserva Federal norte-americana possa retirar as medidas de estímulo à maior economia do mundo antes do esperado. Entretanto, o Banco Central Europeu também não mostrou, na semana passada, sinais de que venha a expandir a sua política monetária, o que conduziu a algum pessimismo para os mercados.
 
Além disso, o Tribunal Constitucional alemão trouxe incertezas para os investidores. A entidade está a avaliar a legalidade do programa de compra de obrigações por parte do Banco Central Europeu, programa que países como Portugal querem usar para evitar a pressão dos mercados.
Em Lisboa, a banca foi durante a sessão um dos sectores mais penalizados mas foi aquele que, no fecho, impediu um maior recuo.
 
O BCP somou 1% para 10,1 cêntimos, depois de ter cedido mais de 7%. O BES ganhou 1,67% para 0,732 euros.
 
(Notícia em actualização)