Go back
26 June 2013 14h07

Bruxelas diz que salários dos portugueses vão continuar a cair até 2015

"Uma procura interna deprimida e um mercado de trabalho enfraquecido deverão continuar a exercer uma pressão descendente sobre os salários e os preços, o que deverá servir de base ao processo de reequilíbrio da economia", pode ler-se no documento.
 
Segundo os técnicos de Bruxelas, o recente ajustamento dos custos unitários de trabalho deveu-se essencialmente à destruição de emprego e aos cortes salariais na Função Pública, entretanto anulados pelo Tribunal Constitucional. "Os custos unitários de trabalho nominais caíram significativamente em relação à média da Zona Euro nos últimos três anos e esta tendência deve continuar em 2013 e 2014."
 
Recorde-se que o FMI tinha chegado a conclusões semelhantes na sua avaliação, mas alertava para o facto de os salários dos contratos já existentes do sector privado continuavam a registar um crescimento. “Até agora, os aumentos salariais para os contratos existentes no sector privado desaceleraram mas continuam ligeiramente positivos apesar da deprimida conjuntura económica”, avisava o Fundo.
 
Para o FMI, só será conseguida uma economia mais “competitiva” e uma recuperação sustentável a “rigidez” for atacada “energicamente”. São necessárias medidas para aumentar a produtividade, “o que leva tempo”, e reduzir os custos de produção, “incluindo salários”, no sector transaccionável.