Go back
04 June 2013 12h22

Bruxelas propõe que decisão de fechar bancos fique nas mãos da Comissão

Bruxelas deverá propor que as decisões para obrigar a assumir perdas às entidades financeiras, bem como outras medidas que sejam necessárias para evitar que ocorra uma falência desordenada, deixe de estar nas mãos dos países e passe a estar sob directrizes da Comissão Europeia, de acordo com um documento a que a Bloomberg teve acesso.
 
A agência adianta que, ao mesmo tempo que o sistema cria “um organismo central de resolução” de problemas no sector financeiro, as decisões finais estarão nas mãos da Comissão Europeia.
 
“Entre as instituições da UE, a Comissão é a melhor colocada para desempenhar este papel, assente na sua experiência de reestruturação da banca durante a crise, e dada a necessidade de assegurar uma tomada de decisão expedita e efectiva”, adianta o mesmo documento citado pela Bloomberg.
 
Este documento deverá ser discutido, entre os 27 Estados-membros, na quarta-feira, dia 8 de Maio.
 
Esta posição deverá encontrar algumas resistências, nomeadamente de França e Alemanha. Angela Merkel parece ter abandonado a ideia de reforçar os poderes da Comissão Europeia, que, no rescaldo da crise, foram recentemente fortalecidos no quadro do Pacto de Estabilidade e Crescimento.
 
“Não vejo nenhuma necessidade de, nos próximos anos, dar mais poderes à Comissão Europeia em Bruxelas", afirmou na segunda-feira a chanceler alemã à “Der Spiegel”, em declarações citadas pela Reuters. França tem afastado a necessidade de intervenção mais forte da Comissão.