Go back
02 May 2013 15h55

Descida da taxa de depósitos leva euro para quebra de quase 1%

O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, afirmou esta quinta-feira, 2 de Maio, que a autoridade monetária tem a “mente aberta” no que diz respeito à hipótese de colocar as taxas de depósitos em terreno negativo. O euro não aguentou esta declaração e está a desvalorizar-se.
 
A moeda única europeia passou grande parte da manhã em baixa, à espera da decisão do BCE referente aos juros. Chegou a descer perto de 0,50% face ao dólar americano. Contudo, quando, às 12h45, Frankfurt anunciou a descida da taxa de juro de referência da Zona Euro de 0,75% para 0,5%, o euro ganhou terreno e chegou a superar os 1,32 dólares.
 
O desempenho positivo da divisa das 17 nações europeias prolongou-se por pouco tempo e pelas 14 horas afundou-se quase 1%. O euro reagiu à afirmação de Draghi de que há, em Frankfurt, uma “mente aberta” para um novo corte da remuneração dos depósitos feitos no BCE, actualmente em 0%.
 
Para Ian Stannard, estratega cambial do Morgan Stanley, “é a referência de que o BCE está tecnicamente preparado para taxas de depósitos negativas que está a colocar o euro sob pressão”, conforme disse à agência Bloomberg.
 
“Vamos olhar para todos os dados e observar com atenção todos os desenvolvimentos e estamos preparados para actuar, se necessário”, foi a afirmação do presidente da autoridade monetária quando questionado sobre novos cortes na taxa de juro, agora no seu mínimo histórico de 0,5%.
 
O euro segue a cair 0,87% para os 1,3065 dólares e, de acordo com a Bloomberg, a moeda europeia cai mesmo contra 15 das 16 principais congéneres.