Go back
21 May 2013 12h57

Espanha agrava custos em emissão de 3,51 mil milhões em títulos de curto prazo

Espanha vendeu 3,51 mil milhões de euros de dívida, acima do seu objectivo de 3,50 mil milhões de euros. Foram colocados títulos de dívida a três meses com uma “yield” de 0,331%,  uma percentagem muito superior àquela que foi registada no leilão anterior, de 0,12%, a 23 de Abril, segundo noticia a Bloomberg.
 
Ainda assim este resultado é considerado positivo pelos analistas, numa altura em que os juros de empréstimo para Espanha estão a subir e os líderes europeus lutam por chegar a um consenso sobre como ultrapassar a crise que invadiu a Europa.
 
Também foram emitidos títulos de dívida a nove meses, com uma taxa de 0,789%, um valor ligeiramente superior ao do anterior leilão, de 0,787%.
 
A procura para os títulos a três meses foi 4,29 vezes superior à oferta, o que revela uma maior procura face ao último leilão, onde a procura foi apenas 3,76 vezes a oferta. A nove meses, a procura foi 2,19 vezes a oferta, um valor que descem face ao último leilão, onde se registou uma procura 2,37 vezes superior à oferta, segundo o Banco de Espanha.
 
Espanha tem beneficiado do apoio ao euro por parte do Banco Central Europeu, mas ainda assim, a sua dívida pública tem aumentado, e é expectável que a economia venha a contrair pelo segundo ano consecutivo, em 2013.
 
O Tesouro espanhol afirmou na semana passada ter coberto 54% das suas necessidades de financiamento a médio e longo prazo para 2013, depois de ter vendido sete mil milhões de euros de uma nova referência a 10 anos através dos bancos, com uma “yield” 100 pontos base abaixo que a mesma referência emitida em Janeiro.
 
Na semana passada, pela primeira vez em três anos, foram vendidos títulos de dívida a 12 meses com uma “yield” inferior a 1%.