Go back
24 May 2013 12h29

"Governo fará tudo ao seu alcance" para não aplicar TSU dos pensionistas

Questionado por Jerónimo de Sousa, que pediu ao primeiro-ministro para explicar a “marretada” nas pensões, Passos Coelho explicou que a contribuição sobre todas as pensões só será equacionada “se for estritamente necessário”. “O Governo fará tudo ao seu alcance para não ter de aplicar esta medida e para encontrar alternativas para ela”. Passos Coelho assegura que “a troika aceita a substituibilidade das medidas, em particular desta”.
 
Passos Coelho também assegurou que “não há nenhum corte previsto de 10% sobre reformados”. E optou por gabar o historial do Governo a lidar com pensões. “Até hoje nós conseguimos, em todas as medidas que afectam o rendimento, deixar de fora quase 90% dos pensionistas e reformados”.
 
“Qualquer que seja a convergência, mesmo nas pensões da CGA, ela sempre haverá de poupar as pensões mais baixas, sobretudo abaixo de 600 euros”, prometeu. “Em matéria de protecção de pensões, este Governo fez o que nenhum outro fez ate hoje”.
 
O primeiro-ministro lembrou que o Executivo que lidera fez até “o contrário do que outros fizeram”, numa referência ao anterior Governo de José Sócrates, que congelou as pensões mínimas, algo que o actual reverteu.