Go back
05 July 2013 09h00

Governo liquidou 26 swaps que tinha sido aconselhado a manter

As negociações entre o Governo e as instituições financeiras que venderam swaps resultaram até agora no cancelamento de 26 contratos que deveriam ter sido mantidos, noticia esta sexta-feira o "Público".
 
Essa foi a recomendação feita pela Storm Harbour, a consultora contratada pelo Executivo para avaliar os derivados subscritos por empresas públicas. Em sua opinião, apenas 45 dos 69 contratos já liquidados deviam ter sido extintos.
 
De acordo com o jornal, dos 26 contratos derivados que foram liquidados, contrariando as conclusões da consultora, a maioria (20) pertence ao Metro de Lisboa. Outros quatro dizem respeito à Refer e os restantes dois tinham sido celebrados com a Metro do Porto.
 
O cancelamento destes contratos foi feito no contexto das negociações com os bancos com vista à liquidação de swaps especulativos. Segundo o jornal, o Governo acabou por desfazer instrumentos que a Storm Harbour tinha aconselhado a manter porque optou por acordos mais amplos.
 
A consultora recomendou manter aqueles contratos por entender que apresentavam um nível de complexidade reduzido. Dos 69 swaps, só apontou para a liquidação de 45 por se tratarem de produtos com perdas potenciais muito elevadas e um significativo grau de risco.
 
Os acordos do Governo com nove bancos para a liquidação de 69 contratos implicou o pagamento de mais de 1.000 milhões de euros às instituições financeiras.