Go back
15 May 2013 19h18

Moviflor recorre ao processo especial de revitalização

Criada há 42 anos, a Moviflor justifica, em comunicado, a decisão, com "o intenso e prolongado clima de crise económica e financeira" que tem "provocado um forte impacto no rendimento dos consumidores, afectando de forma significativa todo o sector no qual se insere o negócio" do grupo.
 
"Este instrumento tem como objectivo fundamental a recuperação financeira da empresa e, consequentemente, a manutenção de centenas de postos de trabalho e a continuidade do contributo para a indústria nacional", refere a empresa.
 
Actualmente, a Moviflor tem 950 trabalhadores em Portugal.
 
"Os termos do plano de recuperação estão a ser definidos em detalhe", garantindo que "a adopção deste instrumento [PER] não afectará a actividade comercial da empresa", pelo que "lojas, armazéns e escritórios da Moviflor continuarão a funcionar e a servir os portugueses, como fazem há mais de quatro décadas".
 
A Moviflor sublinha que o plano de recuperação financeira "não abrange os mercados de Angola e Moçambique, onde o negócio é autónomo", apontou.
 
Em 2008, a empresa iniciou a internacionalização, com a abertura da primeira loja em Angola. No ano passado arrancou com as operações em Moçambique.
 
"A administração da Moviflor já informou os colaboradores, a Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) e o Sindicato dos Trabalhadores do comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP), a quem solicitou uma reunião a realizar assim que estejam concluídas as linhas orientadoras da revitalização".
 
Apesar da conjuntura, "a administração da Moviflor manifesta a sua confiança na recuperação económica da empresa".