Go back
09 May 2013 12h25

PS acusa Governo de prosseguir confronto político, institucional e social

Estas posições foram assumidas pelo coordenador da bancada socialista para as questões laborais, o deputado Nuno Sá, num comentário à possibilidade de o Executivo reduzir todas as pensões da Caixa Geral de Aposentações (CGA) no âmbito do processo de convergência das fórmulas de cálculo das pensões da CGA e da Segurança Social.
 
Para o deputado do PS, esta medida, a ser concretizada, revela da parte do Governo "impreparação, inconsciência e desnorte".
 
"Este Governo já não merece a confiança dos portugueses", advogou antes de referir que na última campanha eleitoral, em 2011, "o PSD e o CDS-PP prometeram aos portugueses que não seria necessário despedir funcionários públicos e que iriam defender os pensionistas".
 
"Pois bem, os portugueses hoje sabem que vai haver um despedimento em massa de funcionários públicos e que todos os reformados e pensionistas portugueses vão ter a sua reforma cortada com efeitos retroactivos", criticou Nuno Sá.
 
De acordo com o deputado socialista, o Governo está a "insistir no caminho do confronto político, institucional e social".
 
"Temos um Governo em conflito e em confronto com os portugueses", acrescentou.
 
A aplicação de cortes retroactivos nas pensões do Estado foi assumida na quarta-feira pelo secretário de Estado da Administração Pública em entrevista à estação de televisão SIC.
 
A medida, segundo noticiam hoje os jornais económicos, implicaria uma redução média na ordem dos 10% em todas as pensões da Caixa Geral de Aposentações (CGA), no âmbito do processo de convergência das fórmulas de cálculo de pensões da CGA e da Segurança Social.