Go back
02 May 2013 11h43

Recessão leva portugueses a viajar mais para casa de amigos e familiares

Os portugueses realizaram quatro milhões de viagens turísticas no quarto trimestre do ano passado, um crescimento de 12,4% face ao mesmo período de 2011 que foi impulsionado pelo aumento significativo das viagens de “Visitas a familiares e amigos”.
 
Esta categoria de viagens turísticas aumentou 22,5%, destacando-se também a subida de 21,1% nas viagens de negócios. De acordo com os números divulgados esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), “a proporção de turistas que viajaram por motivo de “Visita a familiares ou amigos” foi predominante em todos os meses do trimestre mas especialmente expressiva em Dezembro (67,2%)”.
 
Estes dados mostram que cresceu o número de portugueses que foi de férias no período de Natal e Ano Novo, mas para casa de familiares e amigos. Pelo contrário, o motivo “Lazer, recreio ou férias” registou uma diminuição homóloga no número de viagens, em 5,9%.
 
No quarto trimestre pouco mais de um quarto dos portugueses que realizaram viagens turísticas fizeram-no pelo motivo “Lazer, recreio ou férias”. No quarto trimestre o peso desta categoria no total era superior a 30%.
 
Considerando todo o ano 2012, os dados ainda provisórios do INE mostram que os residentes em Portugal efectuaram um total de 17,1 milhões de deslocações turísticas, um acréscimo de 12,6% face a 2011.
 
Os dados relativos a 2012 mostram que o motivo mais expressivo passou a ser “Visita a familiares ou amigos”, que reuniu 46,0% do total de viagens realizadas durante 2012 (42,7% em 2011), seguido de “Lazer, recreio ou férias” (42,1%, face a 45,6% em 2011).
 
“Estes resultados revelam uma assinalável alteração de estrutura na motivação dos residentes para viajar face aos anos anteriores, em que o ‘Lazer, recreio ou férias’ constituía a principal motivação para viajar, agora substituído pela maior importância dada a ‘Visitas a familiares ou amigos’, a que não será alheia a actual conjuntura económica”, refere o INE.
 
O Produto Interno Bruto (PIB) português caiu 3,8% no último trimestre de 2012, elevando a quebra da totalidade do ano para 3,2%. 
 
Com as medidas de austeridade a pesarem na carteira dos portugueses, estes continuam a fazer viagens turísticas, mas optam agora por soluções mais baratas, como as viagens a casas de amigos e familiares, em detrimento de outras opções, como hotéis e outros alojamentos.
A mesma razão explica a descida das viagens dos portugueses ao estrangeiro. As deslocações para o estrangeiro atingiram um peso de 8,1% do total no quarto trimestre, o que se traduziu numa redução de 1 ponto percentual, ainda que o seu número total tenha estabilizado em 328 mil.
 
O relatório do INE adianta ainda outros dados que mostram que os portugueses estão a optar por férias mais baratas. Aumentou a escolha do automóvel como meio de transporte e a opção pelo avião viu o seu peso baixar de 9,4% para 7,3%.
 
Verificou-se também que aumentou a preponderância das viagens de curta duração (até 3 noites), sendo que o peso das viagens de longa duração (4 ou mais noites) se reduziu de 32,3% em 2011 para 29,8% em 2012.