Go back
14 May 2013 21h12

S&P500 sobe para novo máximo histórico

O Dow Jones fechou a subir 0,82% para 15.215,25 pontos, o Nasdaq a ganhar 0,69% para 3.462,609 pontos e o S&P500 a avançar 1% para 1.650,39 pontos, tendo renovado o máximo histórico.
 
A contribuir para a subida dos índices está a expectativa em torno da recuperação da economia americana. O indicador de confiança das pequenas e médias empresas americanas cresceu, em Abril, para o nível mais elevado dos últimos seis meses, a beneficiar das perspectivas mais animadoras para a economia e para as vendas.
 
“Enquanto o crescimento económico é fraco de uma forma geral, não parece haver nenhum risco sistémico como anteriormente, com excepção do inevitável” abrandamento das ajudas da Reserva Federal (Fed), defende Dan Morris, estratega da JPMorgan, numa nota citada pela Bloomberg. “A liquidez vai continuar a suportar os mercados, apesar de haver um preço que será pago no futuro”, acrescentou.
 
A travar o entusiasmo entre os investidores estiveram também as declarações do presidente da Reserva Federal de Filadélfia, Charles Plosser, que reiterou que a Fed deverá reduzir a compra de obrigações. "As condições do mercado de trabalho garantem a redução do ritmo de compra" de obrigações, afirmou o responsável, citado pela Bloomberg. "Além disso, a não ser que se assista a uma inversão da tendência actual" que anule a "minha previsão de uma taxa de desemprego próxima dos 7% no final deste ano, antecipo que podemos terminar com o programa [de compra de obrigações] antes do final do ano", acrescentou. 
 
Já do lado oposto estiveram as declarações do gestor de hedge funds, David Tepper, que afirmou que a banca “é um bom sector”, o que contribuiu para a subida das acções da banca. Bank of America, Goldman Sachs e Citigroup subiram mais de 2,5%.
 
Em queda fecharam as acções da Apple, perdendo 2,39% para 443,86 dólares, num dia em que o sector das tecnológicas foi o que teve o pior desempenho entre os 10 grupos.