Go back
09 May 2013 20h35

Seguro recusa-se a esclarecer se estará presente na reunião com o primeiro-ministro

"Vamos analisar estas últimas alterações que o Governo e o primeiro-ministro fizeram sobre essa matéria", respondeu António José Seguro, depois de questionado pelos jornalistas se estará presente, pelo lado do PS, na reunião com o Governo no próximo dia 15.
 
António José Seguro falava aos jornalistas após ter participado num encontro com 27 jovens na sede nacional do PS, iniciativa que pretendeu assinalar o "Dia da Europa".
 
Perante a insistência dos jornalistas na questão sobre se estará presente na reunião com o primeiro-ministro, o líder socialista disse: "Vim do Parlamento directamente para aqui [sede nacional do PS], sei que estava a haver contactos".
 
"Posso dizer uma coisa: O Governo convida o PS para uma reunião e o PS estará nessa reunião", frisou.
 
O PS propôs hoje que a reunião com o Governo, com a presença do primeiro-ministro, se realize dia 15 a partir das 18 horas e não de manhã como pretende o executivo.
 
Segundo fonte socialista, o PS "foi surpreendido" pela notícia da agência Lusa, na qual o Governo marcava a reunião com os socialistas para a manhã de quarta-feira.
 
"Isto não é convocar o PS para a hora que bem se entende", protestou um dirigente socialista, adiantando que António José Seguro "já tomou uma decisão" sobre se estará ou não presente nessa reunião.
 
 O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, vai estar presente nos encontros pedidos aos partidos sobre estratégia de crescimento, nos quais o Governo diz estar disponível para "discutir o que for necessário".
 
Os encontros arrancam na sexta-feira, com Verdes, Bloco de Esquerda e CDS, enquanto PS, PCP e PSD serão recebidos pelo executivo no dia 15.
 
De acordo com fonte governamental, "o Governo fez o convite [aos partidos] para discutir a estratégia de crescimento, mas está disponível para discutir o que for necessário".
 
Além do primeiro-ministro, estarão presentes, do lado do Governo, o ministro adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro, o ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Marques Guedes, o ministro da Economia e do Emprego, Álvaro Santos Pereira, e o ministro da Solidariedade e da Segurança Social, Pedro Mota Soares.
 
Nas declarações que fez aos jornalistas, António José Seguro salientou o problema do desemprego em Portugal.
 
"Num dia em que se conhecem uma vez mais números catastróficos sobre o desemprego, penso que é importante que os portugueses tenham a oportunidade de saber que sem a renegociação das condições do processo de ajustamento, sem se parar com esta política de austeridade, é impossível Portugal parar com a tragédia do número de desempregados, que já atinge mais de 950 mil cidadãos. Tenho dito várias vezes isto ao primeiro-ministro em vários debates e também na última reunião há cerca de 15 dias", acrescentou.