Go back
22 May 2013 09h50

Sindicato considera inadmissível que pensionista paguem mais para a ADSE

"É inadmissível que se aumente neste momento o valor dos descontos para os pensionistas", afirmou à agência Lusa Nobre dos Santos.
 
Sublinhando que ainda não tem conhecimento dos valores exactos em causa, porque só recebeu o documento na terça-feira ao final da tarde, o dirigente da FESAP criticou a intenção.
O corte adicional nas pensões é ainda pior depois "das malfeitorias todas que já têm feito aos pensionistas", acrescentou Nobre dos Santos.
 
O Jornal de Negócios avançou hoje que além de um corte adicional das pensões, os reformados do Estado também vão ter uma subida do desconto para o sistema de saúde da ADSE, sendo que, a partir do verão, passam a pagar 2,25% em vez dos atuais 1,5% e que, a partir de 2014, o desconto aumentará para 2,5%.
 
Segundo refere o jornal, o Governo está a preparar um diploma que prevê que todos os que tenham uma pensão superior a 485 euros mensais passem a descontar mais, o que implica uma redução no valor líquido da pensão.
 
O ministro-adjunto e do Desenvolvimento Regional, Miguel Poiares Maduro afirmou na terça-feira que estão a ser estudadas "todas as alternativas" à taxa de sustentabilidade para os pensionistas e garantiu que "só será aplicada em último recurso", e que "todo o Governo defende essa posição".
 
Segundo o ministro, estão a ser estudadas medidas alternativas a este novo imposto sobre os reformados e pensionistas, sendo que "todo o Governo defende essa posição: a contribuição especial de sustentabilidade só será aplicada em último recurso".