Voltar
28 maio 2013 12h43

Alegada manipulação de preços dos combustíveis pode ter causado "enormes prejuízos"

O comissário europeu para a Concorrência, Joaquin Almunia, afirmou esta terça-feira que caso se confirme a manipulação dos preços do petróleo e produtos derivados, que ainda está a ser investigada, os consumidores podem ter estado sujeitos a “enormes prejuízos”.
 
Almunia, que hoje está presente na comissão de assuntos Económicos e Monetários do Parlamento Europeu falava sobre a semelhança da investigação entre o caso de manipulação dos preços do petróleo e a manipulação da taxa Libor. De acordo com o comissário, as duas investigações têm o objectivo idêntico de examinar a possibilidade de combinação de valores através das plataformas de definição de preços.
 
Há duas semanas, a Comissão Europeia e a Autoridade da Concorrência inspeccionaram as sedes da BP, Shell e Statoil, bem como os escritórios da Platts, por suspeita de manipulação dos preços dos combustíveis. Bruxelas suspeita de manipulação no reporte de preços junto da Platts, a plataforma mais importante na Europa para a definição dos preços do petróleo e seus derivados. A Platts é uma unidade da norte-americana McGraw-Hill, líder no fornecimento de “benchmarks”.
 
“Ainda estamos na primeira fase de investigação”, disse Almunia. “Se, de facto, a manipulação for confirmada poderá ter originado enormes prejuízos para os consumidores”, apontou o comissário, citado pela Bloomberg.
 
A investigação às alegadas manipulações dos preços dos combustíveis é já a terceira que a União Europeia realiza a “benchmarks”, depois do caso Libor e ISDAFix, o “benchmark” para as taxas “swap”.
 
“Este caso tem algumas semelhanças com os “benchmarks” do sector financeiro e com as investigações que estão a ser conduzidas no casos Libor, Euribor e Tibor”, acrescentou Joaquin Almunia.