Voltar
28 maio 2013 18h11

"Brevemente o porto de Lisboa deixará de ter capacidade"

Entre 2020 e 2025 a capacidade de Portugal, do ponto de vista do transporte de mercadorias de contentores, estará esgotada, disse Marina Ferreira, presidente da Administração do Porto de Lisboa (APL), esta  na primeira audição sobre a reorganização da actividade portuária do estuário do Tejo.
 
O primeiro porto a esgotar será o de Lisboa, disse a responsável, explicando que o terminal de Alcântara “está neste momento com ocupações na casa dos 70% - valores de Maio de 2013 -, sendo de admitir que brevemente não tenha mais capacidade”.
 
Por essa razão, disse Marina Ferreira, “há um tempo estratégico para esta decisão”, no âmbito da qual está prevista a construção de um terminal de contentores na Trafaria, num investimento que o Governo anunciou já que ultrapassará os mil milhões de euros.
 
“Face à situação de esgotamento de capacidade há o risco de, ao não se avançar com o projecto, se comprometer a capacidade de movimentação de Lisboa”, disse, lembrando que isso tem custos para o país.
 
Na reunião na comissão de Economia e Obras Públicas, em conjunto com as comissões de Agricultura e Mar e de Ambiente, Ordenamento do Território e Poder Local, Marina Ferreira disse que a APL está neste momento a actualizar todos os estudos feitos nas últimas décadas em parceria com o LNEC.   
 
A responsável explicou que desde os anos 80 começaram a ser estudadas soluções para a expansão do terminal de carga, alternativas para o previsível esgotamento do terminal de alcântara, tendo sido estudada a situação do Barreiro, de Alcântara, Trafaria e até uma solução no mar da Palha.
 
Em respostas às preocupações ambientais levantadas pelos deputados, Marina Ferreira garantiu que  “todas as questões de impacto ambiental estão a ser super acauteladas”.