Voltar
04 julho 2013 12h27

Citi: Mesmo com acordo estabilidade do Governo está ameaçada

O Citibank emitiu uma nota de análise em que comenta a crise política em Portugal, observando que a situação do Governo liderado por Pedro Passos Coelho continua a concentrar as atenções dos investidores.
 
Os economistas do Citi reconhecem que a crise do Governo português poderá ser ultrapassada a breve trecho, mas terá consequências para a estabilidade do Governo que resultar do acordo, dadas as condições políticas adversas que se vivem em Portugal.
 
“Embora possa ser alcançado um compromisso no curto prazo para manter a coligação unida, a dificuldade elevada das decisões políticas a tomar nos próximos meses implica, na nossa perspectiva, que a estabilidade do Governo permanece ameaçada”, lê-se na nota diária do banco de investimento.
 
A nota de análise foi publicada esta manhã, antes de serem retomadas as negociações entre Pedro Passos Coelho e Paulo Portas, que tiveram início na quarta-feira à noite.
 
No que diz respeito aos acontecimentos na Zona Euro que são objecto de comentário, o Citi analisa a reunião do Banco Central Europeu. A autoridade monetária deverá, prevê o Citi, “reiterar a óbvia desconexão entre a Europa e os Estados Unidos”, embora excluindo quaisquer novas medidas expansionistas, para já.
 
Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de “research” emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de “research” na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.