Voltar
21 maio 2013 12h54

El Corte Inglês reestrutura dívida e define aposta no exterior como um dos objectivos

O El Corte Inglês deu arranque a uma reestruturação da sua díivida, que chega, nesta altura, a 5 mil milhões de euros, confirmou na segunda-feira a empresa através de um comunicado. A operação vai permitir o desenvolvimento nacional e internacional.
 
A retalhista está em contacto com as “principais instituições financeiras do país” para definir de que forma será concretizada esta reorganização da dívida, cujo objectivo é conseguir novos “custos, prazos e diversificações das fontes de financiamento”, conforme confirmou a empresa, citada pelo “El País”. A agência Bloomberg escrevia ontem que, além do Santander, também o Morgan Stanley iria participar na operação.
 
O momento escolhido para esta reordenação da dívida da companhia é “muito adequado”, segundo a empresa. “As taxas Euribor estão baixas e os mercados oferecem possibilidades atractivas de financiamento a longo prazo”, acrescenta o documento.
 
O El Corte Inglês indica, contudo, que é necessário colocar em contexto a dívida de 5 mil milhões de euros no total de capitais próprios de 7,45 mil milhões de euros e de uma carteira de activos imobiliários, em “sítios irrepetíveis”.
 
Espaço comercial em Carcavelos em "stand by"
 
Com esta reestruturação, a retalhista presidida por Isidoro Alvarez espera “permitir o seu desenvolvimento tanto a nível nacional como internacional”, segundo indica o comunicado. Não são indicados mais objectivos. O El Corte Inglês marca presença, além de Espanha, em Portugal, com centros comerciais em Lisboa e Gaia e noutros locais com os supermercados Supercor.
 
A abertura de um terceiro grande espaço comercial em Carcavelos, anunciada em 2011 para estar a funcionar no Natal de 2013, encontra-se neste momento em “stand-by”, confirmou o Negócios junto do gabinete de comunicação do El Corte Inglês. Ainda assim, estão nesta altura a ser abertos supermercados em território nacional.
 
Sobre a reestruturação, sendo uma questão da empresa de Madrid, o gabinete de comunicação do El Corte Inglês em Portugal não fez comentários.