Voltar
03 maio 2013 17h06

Final da Liga Europa dá ganho de 8% em bolsa ao Benfica

As acções da sociedade anónima desportiva (SAD) do Benfica subiram para o valor mais alto em um mês depois de o clube da Luz ter assegurado um lugar na final da Liga Europa.
 
Os títulos da SAD presidida por Luís Filipe Vieira somaram 8,51% para terminarem nos 1,02 euros, que comparam com os 0,94 euros de ontem.
 
O valor corresponde a uma mais do que duplicação da cotação que o Benfica registava no final do ano passado (a SAD encarnada fechou 2012 nos 0,41 euros) e não era registado desde o início de Abril. A subida não foi suficiente para levar a empresa para os níveis alcançados nessa altura, quando superou os 1,10 euros.
 
A impulsionar a valorização desta sexta-feira esteve a vitória por 3-1 do Benfica sobre os turcos do Fenerbahçe, no estádio da Luz, um resultado que permitiu às águias, na soma com a derrota por 1-0 na Turquia, passar à final da Liga Europa. O Benfica terá pela frente o Chelsea, que eliminou o Basileia.
 
O Benfica garante, pelo menos, mais 2,5 milhões de euros com a sua participação na Liga Europa. Isto porque, o vencedores da competição arrecadam um prémio de 5 milhões enquanto a equipa que ficar em segundo ligar ganha 2,5 milhões de euros.
Volume do Benfica em destaque
 
Em destaque na sessão de hoje esteve igualmente o volume. Foram negociadas mais de 49 milhões de acções da SAD encarnada. A média diária nos últimos seis meses é inferior a oito mil títulos transaccionados por sessão. É preciso recuar a Março para encontrar uma sessão em que tenham sido trocadas tantas acções do Benfica.
 
Foram negociados hoje mais títulos da SAD da equipa da Luz do que, por exemplo, da Semapa, que pertence ao PSI-20, e quase tantos como os da Novabase. O aumento do volume do Benfica tem sido um padrão registado nos últimos dois meses, num movimento que acompanha a subida da cotação da acção ao longo de 2013.
 
Em Abril, a SAD encarnada realizou uma emissão de obrigações em que arrecadou 45 milhões de euros mas onde conseguiu captar uma procura superior, na ordem dos 161 milhões de euros. Quando foram conhecidos os resultados da operação, o administrador financeiro do Benfica, Domingos Soares de Oliveira, afirmou que a procura era um “factor de confiança” na empresa.
 
Contudo, o saldo positivo do Benfica ao longo do ano está mais relacionado com a compra dos direitos de transmissão televisiva da Premier League, a primeira liga do futebol inglês, por parte da Benfica TV, que assegurou as receitas com este campeonato para os próximos três anos.