Voltar
23 maio 2013 17h35

Gaspar espera que crédito fiscal faça crescer o investimento já este ano

"Hoje o Conselho de Ministros aprovou um conjunto de medidas fundamentais para a promoção imediata do investimento produtivo, com um novo crédito fiscal extraordinário", afirmou Gaspar, numa conferência no Ministério das Finanças. "É uma medida inovadora e sem precedente em Portugal, tanto no seu montante como abrangência."
 
Esta linha de crédito fiscal extraordinário ao investimento - para montantes até aos cinco milhões de euros - permitirá a dedução à coleta em sede de IRC de 20% do montante investido. Uma dedução à coleta que corresponde a 20% do valor investido, desde que não exceda 70% do montante daquela coleta.
 
As empresas que quiserem beneficiar desta medida terão de se candidatar entre 1 de Junho e 31 de Dezembro deste ano. "Sem este crédito fiscal, esperava-se que o investimento caísse em 2013. Com esta medida pretende-se que esta tendência de quebra seja invertida e que se possa verificar um crescimento do investimento já na segunda metade do ano", sublinhou o ministro das Finanças.
 
O investimento tem sido uma das rubricas mais castigadas pela recessão económica, arrastado pela contracção do mercado interno e do consumo, assim como dificuldades de acesso a financiamento. As estimativas inscritas no Documento de Estratégia Orçamental apontam para uma quebra de 7,6% este ano e um crescimento de 2,5% em 2014.
 
O Governo tem feito um esforço para mudar de discurso, privilegiando os temas do crescimento, investimento e emprego sobre a austeridade e a consolidação orçamental. A 20 Fevereiro deste ano, Vítor Gaspar tinha anunciado a “transição entre a urgência do ajustamento e a prioridade da estabilidade, crescimento e emprego”.
 
“Em 2013, criaremos as condições para o investimento e a actividade económica. Nesta nova fase, a prioridade do governo é relançar o investimento e será o tema central do novo exame regular", sublinhava o ministro das Finanças, dizendo esperar que "medidas fiscais para incentivar o novo investimento com impacto ainda este ano, atenuando a queda da procura interna”.