Voltar
28 junho 2013 09h45

Governo não gosta da ideia de briefings diários de Poiares Maduro

As reservas terão ficado expressas no Conselho de Ministros, realizado no último fim-de-semana em Alcobaça, com o objectivo de preparar a segunda metade da legislatura. O ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional apresentou uma nova estratégia de comunicação nessa reunião, da qual faz parte a intenção de organizar briefings diários com a imprensa.
 
Segundo o semanário, a ideia não foi bem recebida pelos seus pares, que pediram alterações à proposta inicial de Maduro. As críticas passaram pela divulgação cedo de mais da iniciativa (noticiada sexta-feira), pela periodicidade das reuniões que Maduro quer que sejam diárias, pela necessidade de os briefings serem feitos por alguém com peso político e até por pormenores como a hora escolhida para os fazer.
 
Em geral, os ministérios que se mostraram hesitantes temem o impacto que esses encontros podem ter, uma vez que a comunicação das suas medidas deixa de estar nas suas mãos. "Uma palavra trocada pode deitar por terra meses de trabalho", avisa um responsável de um ministério que não se quis identificar.
 
Algumas das alterações que terão sido já definidas passam pela presença de mais ministros e secretários de Estado nestas reuniões, bem como a sua antecipação para as 12 horas, antes dos noticiários da tarde.
 
Ainda segundo o "Sol", no Conselho de Ministros do último fim-de-semana, Poiares Maduro terá identificado os principais erros políticos do Governo, notando que Pedro Passos Coelho e Vítor Gaspar condicionaram demasiado a comunicação do Governo, limitando-a quase exclusivamente ao cumprimento das metas da troika.