Voltar
23 maio 2024 08h47

Governo vai inverter a lógica das candidaturas ao Porta 65

O Governo pretende inverter a lógica das candidaturas ao Porta 65, avança, esta quinta-feira, o Eco, adiantando que a ideia é que a candidatura ao programa que apoia o arrendamento destinado aos jovens até aos 35 anos seja decidida com base no rendimento e que só depois, perante uma resposta positiva, é que se parte para o mercado à procura de casa.

A publicação económica recorda que, na nova estratégia para a habitação, apresentada no passado dia 10 de maio, o Governo comprometeu-se, no espaço de 15 dias, a reformular o Porta 65 para "colocar a realidade económica do jovem em primeiro lugar, acabando com exclusões em função de limites de rendas".

Isto quer dizer, segundo a secretária de Estado da Habitação, que "um jovem, com determinado rendimento, dirige-se ao IHRU, vê a sua candidatura aceite e depois vai ao mercado procurar a sua casa". "É uma inversão completa", sublinha Patrícia Gonçalves Costa, na Advocatus Summit, uma iniciativa do ECO, a decorrer até esta quinta-feira. "Hoje em dia é preciso já ter uma casa, ter uma promessa de contrato e só depois se vai ao IHRU", acrescentou.