Voltar
03 junho 2013 14h14

Investidores vão a tribunal discutir validade do acordo de 8,5 mil milhões de dólares

A juíza do supremo tribunal de Nova Iorque, Barbara Kapnick, vai ouvir os representantes de 87 investidores institucionais que estão divididos quanto a um acordo entre o Bank of America e os detentores de obrigações de dívida do banco Countrywide Financial.
 
O Bank of America (BofA) firmou um acordo para pagar 8,5 mil milhões de dólares (6,5 mil milhões de euros) aos detentores de obrigações cujo pagamento foi incumprido pelo Countrywide Financial. O banco foi comprado em 2008 pelo BofA e as suas obrigações legais passaram a ser imputadas à casa-mãe.
 
O acordo foi subscrito por 22 investidores institucionais que representam diversos clientes, segundo a Reuters. Entre os seus subscritores estão a gestora de fundos BlackRock, a Pimco e a Metlife. Já as empresas do grupo AIG estão entre 65 entidades que opõem ao acordo, afirmando que o valor da indemnização não cobre uma parte substancial das perdas.
 
O Bank of New York Mellon (BNY Mellon), que detém obrigações em nome de 530 clientes dos seus serviços de gestão de fundos, apresentou o pedido ao tribunal para que aceite o acordo e o torne obrigatório para todos os seus beneficiários. “Acreditamos que este acordo é o que melhor representa os interesses de todos os titulares dos certificados”, afirmou Mathew Ingbar do BNY Mellon.
 
A juíza do tribunal de Nova Iorque vai ouvir as duas partes durante as próximas duas semanas e irá emitir o acórdão com a decisão, num período que pode demorar alguns meses. Se o acordo não for aprovado, o processo poderá demorar vários anos, segundo a Reuters.