Voltar
24 abril 2013 13h40

Lucros da P&G superam expectativas dos analistas

A receita do trimestre que acabou a 31 de Março subiu 6,4% para 2,56 mil milhões de dólares, cerca de 1,96 mil milhões de euros, ou 88 cêntimos por acção, em comparação com o período homólogo, em que os ganhos foram de 2,41 mil milhões de dólares, ou 82 cêntimos por acção. Excluindo alguns gastos, o lucro ascende a 99 cêntimos por acção, o que supera os 96 previstos pelos analistas da Bloomberg.
 
O presidente-executivo Bob McDonald tem reduzido as despesas e consolidado a oferta, enquanto trabalha para ganhar uma maior fatia de mercado nos segmentos dos vários produtos da empresa. Ackman, que tentou substituir McDonald na presidência do grupo, gastou 1,8 mil milhões de dólares em acções do grupo no ano passado, depois do actual presidente executivo ter começado um programa de cortes nos custos na ordem dos 10 mil milhões de dólares, até 2016.
 
Bill Schmitz, analista do Deutsche Bank, escreveu em Abril que recomendava a compra de acções da empresa.
 
A P&G subiu ontem 1,4% para 82,54 dólares na bolsa de Nova Iorque. Este ano as acções da empresa já avançaram 22%, o dobro da subida registada no índice bolsista Standard & Poor’s 500. Hoje, e em Frankfurt, as acções da empresa estão a cair 1,87% para 61,93 euros.
 
As vendas líquidas da empresa subiram 2% para 20,6 mil milhões de dólares, um valor ligeiramente abaixo dos 20,7 mil milhões previstos pelos analistas.