Voltar
17 junho 2013 13h38

Ministro da Indústria de Espanha: Sem reforma, défice tarifário "seria problema maior que o da banca"

O ministro espanhol da Indústria, Turismo e Energia, José Manuel Soria, anunciou que o governo vai reduzir os custos regulados do sector da electricidade, incluindo a produção a partir de fontes tradicionais e das renováveis.
 
O governo espanhol vai transferir dois mil milhões de euros do orçamento do Estado para colmatar parte do défice tarifário e "solucionar, de forma pemanente, o problema de desequilibrio financeiro no sector eléctrico"
 
A medida permitirá impedir o crescimento do défice tarifário e vai trazer menos subidas da factura da electricidade, no país. Sem a reforma legislativa, o défice poderia crescer até ao ponto em que representaria “um problema financeiro ainda maior do que a crise da banca espanhola”, afirmou Manuel Soria.
 
Por outro lado, os contribuintes espanhóis irão beneficiar das alterações já que “não vai haver aumentos tão persistentes” do preço da luz e também porque o recibo da electricidade vai ser “muito simplificado”.
 
José Manuel Soria não especificou os cortes que serão feitos nos preços da electricidade, adiantando apenas que o prémio na remuneração das energias renováveis, denominado regime especial, será reduzido. Estas terão uma remuneração em linha “com o que diz a lei: uma rentabilidade razoável”, afirmou o ministro.