Voltar
18 junho 2013 19h21

Presidente da APCAP: "Há uma demonização das auto-estradas que tem que ser esclarecida"

A Associação Portuguesa das Sociedades Concessionárias de Auto-Estradas ou Pontes com Portagens (APCAP) quer desmistificar o uso de auto-estradas em Portugal e por isso promoveu um estudo em que garante ter dados objectivos de poupanças e benefícios para os utentes que se desloquem nestas vias.
 
Em declarações ao Negócios, José Braga, presidente da APCAP salienta que “há uma demonização das auto-estradas que tem que ser esclarecida”. Para o responsável, era preciso elaborar um documento (contratado à TIS, consultora de José Manuel Viegas) que comparasse o uso de auto-estradas com meios alternativos (estradas nacionais, comboios, autocarros).
 
O documento conclui que “a auto-estrada permite sempre reduzir o tempo de viagem, em alguns casos, metade ou mais de metade do tempo”. Além disso, a comparação entre os custos operacionais dos percursos em análise permite constatar que a auto-estrada possibilita uma poupança de cerca de 20%”, sendo que o estudo garante ainda que “a circulação em auto-estrada revela uma taxa de sinistralidade inferior à que se regista na rede rodoviária alternativa”.
 
José Braga adianta que o estudo comparou as alternativas mais rápidas quer em estradas nacionais ou transportes e chegou à conlusão que a auto-estrada vale sempre a pena.
 
“O transporte público está caro”, diz José Braga que reconhece estar “preocupado” com redução de veículos nas auto-estradas, ainda que recorde que o fenómeno também se aplica a outras vias rodoviárias.
 
O presidente da APCAP reconhece que foram cometidos muitos erros na estratégia de construção de estradas e contratação de PPP mas salienta que não há solução fácil para isso. “Está feito, está feito”, conclui.