Voltar
25 junho 2013 10h06

PT e banca aceleram recuperação da bolsa com PSI-20 a ganhar 2%

Depois de quatro sessões de fortes perdas que levaram o índice a tocar em mínimos de Dezembro, o PSI-20 soma 1,92% para os 5.392,37 pontos. O índice nacional está a acompanhar a tendência positiva dos principais pares europeus que recuperam de uma série de cinco sessões negativas.
 
Depois de, na semana passada, a Reserva Federal norte-americana ter afirmado que está preparada para começar a retirar os estímulos à economia e ter provocado perdas nos principais, esta semana foi a vez da China acentuar a tensão nos mercados, com os investidores a temerem um aperto no fornecimento de crédito.
 
A controlar o nervosismo na sessão de hoje estão as declarações de um representante do Banco Popular da China que referiu que os riscos de liquidez na China são “controláveis” e o banco central vai monitorizar as taxas e mantê-las em níveis razoáveis.
 
Por cá, a sessão desta terça-feira é de recuperação e a praça nacional está mesmo a acentuar os ganhos que regista desde o início da negociação. Com 16 das suas empresas a negociarem no verde, a Portugal Telecom é a cotada que mais impulsiona o mercado português, depois de ontem ter tocado em mínimos de 1996. A operadora soma 3,65% para os 2,923 euros.
 
Uma tendência que não é partilhada por todos os títulos do sector das telecomunicações. A Sonaecom sobe 0,94% para os 1,511 euros, enquanto a Zon Multimédia recua 0,46% para os 3,434 euros.
 
Mas, o sector financeiro que foi o mais castigado nas últimas sessões de perdas está hoje no pólo oposto e lidera os ganhos da negociação. O Banco Espírito Santo (BES) valoriza 3,80% para os 0,629 euros, o Banco Comercial Português (BCP) valoriza 3,53% para os 0,088 euros e o BPI sobe 2,55% para os 0,884 euros.
 
O Banif segue inalterado nos 0,098 euros, bem como o Espírito Santo Financial Group (ESFG) que voltou esta semana a negociar no PSI-20, em substituição da Novabase. A “holding” liderada por José Maria Ricciardi negoceia nos 5,22 euros.
 
Outros pesos-pesados contribuem para este movimento de recuperação, nomeadamente a Galp Energia que avança 2,14% para os 11,68 euros, numa altura em que os preços do petróleo seguem a negociar em alta nos mercados internacionais. Já a Jerónimo Martins aprecia 1,15% para os 15,345 euros.
 
Também o grupo EDP contribui para a tendência, com a casa-mãe a valorizar 0,88% para os 2,416 euros e a EDP Renováveis sobe 0,98% para os 3,61 euros.