Voltar
29 abril 2013 18h14

Quinta-feira há uma nova nota de 5 euros nas ruas mas a antiga continua a circular

"Estou, pela primeira vez, com a nova nota nas mãos". Foi através de Carlos Costa que foram apresentadas, em Portugal, as novas notas de cinco euros. Hoje, 29 de Abril, estiveram nas mãos do governador do Banco de Portugal. Na quinta-feira, 2 de Maio, podem estar na posse de qualquer cidadão.
 
Ainda que seja improvável que saiam das máquinas Multibanco logo na quinta-feira de manhã, já é mais provável que, quando se levantar dinheiro ao final do dia, sejam ejectadas as novas notas de cinco euros, segundo adiantou Pinto Pereira, director do departamento de emissão e tesouraria do Banco de Portugal, na conferência de imprensa que se realizou para a apresentação da primeira nota da série “Europa”.
 
As novas notas serão colocadas nos balcões das instituições financeiras ou nas máquinas de distribuição de dinheiro. Na conferência, Carlos Costa explicou que a nova série é lançada como uma forma de combater a contrafacção, “para prevenir tentativas de colocação em circulação de notas contrafeitas”.
 
Em 2012, foram contrafeitas 33 notas por cada um milhão de notas, uma melhoria face às 43 do ano anterior e às 51 de 2010, segundo dados fornecidos por Pinto Pereira.
Com uma nova nota, quem contrafaz as moedas necessita de arranjar novas formas de imprimir os instrumentos falsos. O Banco Central Europeu acredita que a nova moeda tem elementos de segurança mais confiáveis que a anterior série (a que existe desde o lançamento do euro).
 
A nova série tem novos elementos de segurança. À contraluz, será visível na nota a face da “Europa”, a figura mitológica grega que dá a cara à nova série de notas do euro. Uma novidade de segurança é o número esmeralda, um elemento de segurança, “o qual, dependendo do ângulo de observação, muda de cor, passando de verde-esmeralda a azul-escuro, e apresenta um efeito luminoso de movimento ascendente e descendente”, segundo já tinha esclarecido o BCE.
 
A Europa chega juntamente com quatro alertas
 
Criada para combater a contrafacção, têm sido noticiados vários casos de burla. Para que não haja problemas na entrada em circulação, Carlos Costa lançou vários alertas. O primeiro é que, mesmo depois da entrada em circulação da nova nota de cinco euros, o cidadão comum pode continuar a usar as notas da primeira série. A data em que as notas de cinco euros em vigor actualmente, as da primeira série, vão deixar de poder circular será anunciada “com bastante antecedência”, mas vai ser possível trocá-las nos bancos centrais dos países do euro até sempre.
 
O segundo alerta de Carlos Costa é o de que não é necessário trocar qualquer nota. Como terceiro aviso, o governador do Banco de Portugal sublinha o facto de ninguém estar mandatado nem pela instituição que lidera nem pelos vários bancos para trocar notas de cinco euros. Carlos Costa declarou que deve ser feita denúncia se houver o conhecimento de casos do género.
 
O quarto destaque é o de que as novas de cinco euros nunca perdem o seu valor facial, pois as notas de cinco euros continuam a ser de cinco euros, já que o valor é constante.
 
Foi por ter tantos alertas a lançar à população que Carlos Costa se fotografou por vários minutos ao lado da nova nota. “Nunca uma nota valeu tanto”, disse.