Voltar
24 abril 2013 13h52

Rajoy assegura que não haverá aumento de impostos no próximo Conselho de Ministros de Espanha

O presidente do Governo de Espanha, Mariano Rajoy, garantiu esta quarta-feira que a próxima reunião do Conselho de Ministros, agendada para sexta-feira, não vai trazer aumento de impostos.
 
“Não há aumento de impostos esta sexta-feira [dia em que tem lugar o Conselho de Ministros]”, assegurou Rajoy aos jornalistas, cita o “Cinco Dias”.
 
Contudo, o líder do Executivo espanhol avançou que na próxima reunião vão ser aprovadas as novas previsões económicas do Governo, o Plano Nacional de Reformas e o Programa de Estabilidade. É também “provável”, segundo Rajoy, que se modifiquem algumas metas orçamentais, mas nada comparável aos cortes de 2012.
 
Rajoy revelou ainda que não tem intenções de aumentar o IVA, contrariando a recomendação de Bruxelas ou o Imposto sobre a Renda. Porém, tudo depende da evolução do crescimento e dos valores do défice, de acordo com o presidente espanhol.
 
O líder do Governo de Espanha reconheceu também que 2013 “não será bom” no que toca ao desemprego, mas acredita que será “menos mau” do que nos últimos anos, o que incentiva à continuação do caminho trilhado até agora e a “não regressar a políticas obsoletas”, como as que foram aplicadas pelos socialistas espanhóis.
 
“Recuperação económica deverá chegar antes do previsto”
 
O Ministro das Finanças espanhol, Luis de Guindos, afirmou também esta terça-feira que os principais indicadores da economia espanhola apontam para que a recuperação chegue antes do previsto, uma vez que o Governo está a construir “as bases” para a saída da crise.
 
“A economia de Espanha vai estar em crescimento muito antes do que pensamos”, afirmou Guindos, citado pelo "El Mundo", aconselhando ainda os grupos da oposição espanhola a olharem para os dados económicos previstos e não para os dados já desactualizados.
 
“Em Economia, às vezes, acontecem coisas que não são observadas, mas que de alguma forma determinam o que acontece no futuro”, disse Luis de Guindos.