Voltar
30 abril 2013 17h48

Serão necessários 6 mil milhões de euros de medidas austeridade até 2017

Vítor Gaspar anunciou como será dividido o esforço de consolidação orçamental nos próximos anos, número incluído no Documento de Estratégia Orçamental (DEO), entregue hoje na Assembleia da República.
 
Segundo o ministro das Finanças, a fatia mais significativa do ajustamento ocorrerá em 2014, no montante de 2800 milhões de euros, seguindo-se 700 milhões de em 2015 e 1200 milhões em 2016. No total, são 4,7 mil milhões de euros a que tem de se acrescentar ainda as medidas de austeridade que irão substituir os artigos inconstitucionais do OE 2013, que se estimam em 1300 milhões. O que eleva o montante final para 6 mil milhões de euros (3,6% do PIB).
 
"A opção de aumento de impostos parece excluída", afirmou Gaspar, em audição no Parlamento. "O Estado, ao serviço dos portugueses, só poderá ter a dimensão que os cidadãos estejam dispostos a pagar. O papel do Ministério das Finanças é explicitar as restrições financeiras."
 
O governante anunciou também que as previsões macroeconómicas se mantêm inalteradas no DEO, com uma recessão de 2,3% este ano e um regresso ao crescimento em 2014.