Voltar
16 maio 2013 19h37

Testes de "stress" à banca europeia só em 2014 para reguladores avaliarem qualidade dos activos

Os bancos europeus só serão submetidos a novos testes de “stress” no próximo ano. Antes disso, as instituições financeiras terão de ser alvo de uma revisão à qualidade dos seus activos.
 
A Autoridade Bancária Europeia (EBA, na sigla original) acordou esta quarta-feira, 16 de Maio, que vai recomendar aos supervisores nacionais do sector financeiro a condução de avaliações à qualidade dos activos dos bancos que supervisionam – uma recomendação com o intuito de uniformizar as metodologias em todo o continente.
 
“O objectivo dos exercícios relativos à qualidade dos activos será o de rever as classificações e avaliações que os bancos fazem dos seus activos, para ajudar a dissipar as preocupações em torno da deterioração da qualidade dos activos devido às condições macroeconómicas na Europa”, indica a EBA no comunicado divulgado esta quinta-feira. 
 
O Banco Central Europeu (BCE) será o responsável pela condução da análise nos 17 países da Zona Euro (cujos bancos passará a supervisionar directamente no próximo ano), ao passo que nos restantes 10 países a responsabilidade recai sobre os reguladores nacionais, indica a Reuters.
 
Apenas quando estiverem concluídas as revisões do valor dos balanços bancários é que serão conduzidos novos testes de solidez do capital da banca. O que só deverá acontecer em 2014, segundo a EBA.
 
Para o presidente da EBA, Andrea Enria (na foto), é necessária uma condição prévia para a “credibilidade dos próximos testes de stress europeus”. “As nossas recomendações de capital fizeram com que os rácios de capital dos bancos europeus ficassem em linha com o dos nossos principais concorrentes internacionais. Contudo, as preocupações relativas à qualidade dos activos continuam e precisam de ser respondidas”, comenta Enria.
Apesar de não se realizarem, este ano, as provas que indicam se os bancos têm capital suficiente para enfrentar situações financeiras adversas, a EBA vai divulgar, na segunda metade do presente ano, quais os activos que são detidos pelo sector bancário da região.
 
Em 2010 e 2011, a EBA levou a cabo testes para analisar a posição de capital das instituições financeiras comunitárias tendo, no último, “chumbado” oito das 90 instituições analisadas, tendo sido recomendadas a reforçar capital. Contudo, a credibilidade de tais provas foi, por várias vezes, colocada em causa – sendo que, depois das mesmas, a banca cipriota, por exemplo, teve de ser alvo de um resgate financeiro. Desta vez, a autoridade quer assegurar que essa credibilidade não é questionada.