Voltar
21 junho 2013 17h25

Turquia avisa Alemanha sobre reservas de Merkel à entrada na União Europeia

"Espero que corrija o erro que cometeu até segunda-feira... ou haverá reacções", afirmou aos jornalistas o ministro dos Assuntos Europeus turco, Egemen Bagis, referindo-se às reservas de Angela Merkel.
 
Bagis afirmou que a relutância de Angela Merkel em abrir um novo capítulo nas negociações de adesão da Turquia à UE é uma manobra política ligada às eleições legislativas alemãs marcadas para Setembro.
 
Estes comentários surgem num mesmo dia em que o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) alemão chamou o embaixador turco em Berlim por causa de declarações de Egemen Bagis sobre a posição da chanceler relativamente à repressão policial às manifestações contra o governo na Turquia.
 
Merkel classificou na semana passada como "demasiado dura" a intervenção da polícia turca contra os manifestantes.
 
"Se a senhora Merkel quer usar algum país na sua campanha eleitoral, que não seja a Turquia", disse Bagis à edição online da revista Der Spiegel.
 
O ministro turco acrescentou que quem se mete em assuntos internos da Turquia não costuma ter "final prometedor", referindo-se ao ex-presidente francês, Nicolas Sarkozy, que era contra a entrada dos turcos na UE e acabou por perder umas eleições. O MNE alemão considerou estas declarações "inadmissíveis".
 
Bagis insistiu hoje que "Merkel devia pensar nos interesses de cerca de 4.000 empresas alemãs na Turquia" e que deveria também pensar "nas sensibilidades de mais de três milhões de turcos que vivem na Alemanha".