Mensagem da Presidente


Há quase 200 anos que o nome Carregosa está associado ao sector financeiro. As suas origens remontam a 1833, ano em que, na Rua das Flores, no Porto, foi criada a L.J. Carregosa, para negociar em divisas. Ao longo do século XX, a Casa Carregosa cresceu, inovou e desenvolveu-se adaptando-se a um mundo moderno, cada vez mais sofisticado e exigente. Foi dessa forma que, no final da segunda metade do século passado, a antiga Casa de Câmbios se transformou numa Corretora, primeiro, e numa Sociedade Financeira de Corretagem, depois. Chegados ao século XXI, a Sociedade estava preparada para dar mais um passo – o da sua transformação no Banco Carregosa.
 
Esta longevidade só foi possível graças à ambição e perseverança dos acionistas e gestores, à dedicação dos colaboradores e à fidelidade e confiança dos clientes, ao longo de sucessivas gerações.
 
A par desta permanente vontade de inovar, e de servir cada vez melhor, esteve sempre um compromisso de honra – o do respeito pelo património que os clientes colocam ao nosso cuidado. Só assim foi possível percorrer este caminho.
 
O momento que atravessamos é particularmente difícil para a economia, em geral, e para o sector financeiro, em particular. Há novas interrogações, situações inéditas e dilemas com que nunca tínhamos sido confrontados.
 
Mas o passado da Casa Carregosa dá-me segurança para acreditar no futuro.
Acredito que vamos saber continuar a cuidar dos nossos Clientes, com a sabedoria, o respeito e a experiência adquiridas há várias gerações. O aconselhamento profissional e altamente especializado é cada vez mais útil e necessário na proteção do património e na criação de valor.
 
O Banco Carregosa privilegia as relações duradouras, os desempenhos sustentados, as oportunidades de valorização fundamentadas e as escolhas coerentes.
 
Não nos dedicaremos à banca de retalho, nem nos centraremos numa rede física de distribuição. Não teremos objetivos de crescimento massificado ou de vendas em grande escala evitando, assim, conflitos de interesses. Preservar a independência do Banco Carregosa para melhor servir o interesse e as necessidades individuais de cada cliente é, para nós, muito importante. Foi o caminho que a Casa Carregosa seguiu desde 1833. E é o rumo que quer manter.
 
Sinto-me honrada com a confiança que Colegas e Clientes em mim depositam e desejo as boas vindas a todos os que agora se juntam a nós.
 
 
 
 
Maria Cândida Rocha e Silva
Presidente do Conselho de Administração