Voltar
04 abril 2023 11h20

7 formas de ajudar os filhos a lidar com dinheiro

7 formas de ajudar os filhos a lidar com dinheiro


 
Os hábitos adquiridos na infância acompanham as crianças ao longo de toda a vida. Por isso, ensinar os mais novos a lidar com dinheiro ajuda a formar adultos informados, seguros e independentes, capazes de gerir a sua vida financeira sem problemas. E quanto mais cedo começar, melhor. Descubra 7 dicas que podem ser facilmente incorporadas no dia a dia familiar. 

 
 
1. Dê o exemplo
 
 
Esta é a dica mais importante para ajudar os filhos a lidar com dinheiro. As crianças aprendem mais pelo que observam e menos pelo que lhes é dito. É importante que vejam os pais a poupar, a tomar decisões de investimento inteligentes e que participem desde cedo. Procure explicar o porquê de ter tomado determinada opção, fale abertamente sobre a situação financeira familiar com uma linguagem adequada à idade, mas sem infantilizar. Se tiver um comportamento exemplar e de abertura, as crianças estarão muito mais propensas a fazer o mesmo quando forem mais velhas. 

 
 
2. Promova o hábito de poupar 
 
 
Aprender a poupar é mais do que um hábito financeiro essencial. É também uma forma de ensinar a disciplina e o estabelecimento de objetivos. Assim, ajude as crianças a adquirir este hábito. Além disso, é um modo de as ajudar a ver o dinheiro como algo que deve preservar e valorizar, e não como algo a ser gasto de imediato. Sempre que colocarem algum dinheiro de parte, não se esqueça de reforçar o momento com frases e atitudes positivas. Se criar entusiasmo à volta do hábito (em vez de o fazer a custo), maior a probabilidade de a criança adotar esta prática ao longo da sua vida. 

 
 
3. Ensine as crianças a gerir um orçamento  
 
 
É importante que as crianças sejam envolvidas, desde cedo, no manuseamento do dinheiro. A gestão de um "orçamento” – uma mesada ou semanada adequada às suas despesas tem mais impacto do que qualquer sermão. Terá de pesar decisões, definir prioridades, e entender as consequências. Aprender a gerir um orçamento prepara os mais novos para o mundo real. 

 
 
4. Deixe que as crianças percebam o valor do dinheiro
 
 
As mesadas fixas passam a mensagem de que o dinheiro é dado, em vez de merecido. O dinheiro é mais valorizado se for ganho e, por isso, "remunere” algumas atividades que realizam em casa, como tratar do jardim. Quando são um pouco mais velhas, chame as crianças a participar em projetos familiares e partilhe os rendimentos. É claro que há algumas tarefas que devem ser feitas sem remuneração, porque se espera que as crianças e adolescentes ajudem como parte da família. Contudo, para serem pagos, atribua tarefas adicionais adequadas à idade. 

 
 
5. Evite compras por impulso
 
 
Sempre que a criança ou adolescente fizer um pedido de algo que encontrou e gostou, diga-lhe que pode usar as suas próprias poupanças para fazer a compra. Além disso, incentive para esperar, pelo menos um dia. A peça ou o artigo ainda estarão na loja e o tempo vai fazer com que a decisão de comprar se torne mais racional e menos impulsiva. Promova a reflexão e apele à criança para explicar porque precisa do artigo em questão.
Assim, é importante educar as crianças para conseguirem esperar e pensar antes de gastar o dinheiro. Atualmente, as tentações são várias e mesmo para os adultos não é fácil escapar à armadilha do consumo. Lidar com o dinheiro de forma inteligente é utilizá-lo para compras por necessidade. 

 
 
6. Abra uma conta bancária para as crianças
 
 
Quando os filhos forem já adolescentes, poderá abrir uma conta bancária. Este é um passo importante para as suas vidas financeiras, porque estão a preparar um pé-de-meia para concretizar um sonho na idade adulta. Além disso, está também a incutir a importância de lidar com dinheiro de forma eficiente, ajudando a promover a literacia financeira. 
Quando chegar a altura, leve a criança consigo para fazer parte do processo e torne o momento entusiasmante. Atualmente, existem contas bancárias especialmente vocacionadas para crianças que ajudam os pais e filhos a gerir o dinheiro. Quanto mais cedo começar, melhor. 

 
 
7. Ajude a criança a compreender o mundo financeiro
 
 
Poupar é um bom hábito, mas aprender a capitalizar as poupanças também é essencial. Mesmo que ache que as crianças são ainda muito novas para assimilarem conceitos complexos relacionados com investimentos, a sua elasticidade cerebral e cognitiva permite-lhes absorver mais informação do que aquela que imaginamos. Além disso, o facto de se familiarizarem cedo com alguns temas faz com que, mais tarde, consigam entender o mundo financeiro com mais facilidade. 
Introduza alguns conceitos mais complexos, como as contas bancárias, os créditos ou os seguros, explicando a sua importância na gestão financeira de um adulto. Por exemplo, explique que as pessoas recorrem a créditos habitação para comprar casa e que, por isso, têm de pagar prestações todos os meses com juros. Podem também conversar sobre alguns produtos financeiros e sobre o impacto da inflação nas poupanças. 

 
Concluindo, ajudar os filhos a lidar com dinheiro levará algum tempo e esforço, mas é essencial para que sejam adultos informados, seguros e independentes de amanhã. Conte com o Banco Carregosa para o ajudar a tomar decisões acertadas e a proteger o património da família.