Voltar
19 maio 2023 09h45
Fonte: Sapo

Moody's avalia hoje 'rating' de Portugal

Moody's avalia hoje 'rating' de Portugal
A agência de notação financeira Moody's tem prevista hoje uma avaliação à dívida soberana portuguesa, o que poderá resultar numa melhoria do 'rating' do país segundo os analistas consultados pela Lusa.

A Moody's avalia atualmente o 'rating' de Portugal em 'Baa2', com perspetiva estável, mas os analistas consultados pela Lusa antecipam uma melhoria da notação de Portugal, devido sobretudo à trajetória descendente do rácio da dívida pública face ao Produto Interno Bruto (PIB).

"Tendo em conta as recentes revisões em alta para o crescimento deste ano e em baixa para o défice orçamental e dívida pública, a Moody's poderá subir a notação da dívida de 'Baa2' para 'Baa1'", refere Filipe Garcia, presidente da IMF -- Informação de Mercados Financeiros.

"Contra esta possibilidade, considero estarem a instabilidade política recente e o facto de quer as taxas de juro quer o 'spread vs benchmark' estarem acima dos níveis que se observavam em setembro de 2021, aquando da subida de notação anterior pela Moody's", destaca o analista.

Contudo, acredita que "o facto de as previsões para o rácio de dívida mostrarem tendência de baixa poderá ser suficiente para garantir uma subida da notação".

Também Filipe Silva, diretor de Investimentos do Banco Carregosa, antecipa a melhoria da notação, sublinhando que "Portugal continua a viver um bom momento da sua economia".

"Apesar de termos inflação e taxas de juro mais elevadas, a economia tem conseguido mostrar a sua resiliência, com vários setores a terem recuperações muito fortes. O nosso rácio de dívida sobre o PIB tem vindo a descer, tendência que se espera que se mantenha", enumera.

A Moody's optou por não se pronunciar sobre Portugal no ano passado, datando a última avaliação de 17 de setembro de 2021, quando fixou o 'rating' em 'Baa2', com perspetiva estável.

O 'rating' é uma avaliação atribuída pelas agências de notação financeira, com grande impacto para o financiamento dos países e das empresas, uma vez que avalia o risco de crédito.

Os calendários das agências de 'rating' são, no entanto, meramente indicativos, podendo estas optar por não se pronunciarem nas datas previstas ou avançarem com uma avaliação não calendarizada.