Voltar
28 março 2023 09h15

OpenAI: o que significa para os investidores

OpenAI: o que significa para os investidores

 
 
Robots que tomam decisões de investimento de forma autónoma, algoritmos que percorrem milhões de linhas de dados para identificarem padrões impercetíveis ao ser humano, e programas que conseguem ultrapassar as competências humanas de análise e raciocínio. Há muito que o setor financeiro recorre a tecnologias de última geração para detetar oportunidades de investimento. A diferença, como demonstram as últimas notícias sobre a empresa OpenAi responsável por ferramentas como o ChatGPT, é que agora estas tecnologias podem estar mais acessíveis – e poderosas – do que nunca. Descubra o que há de novo no mundo acelerado da Inteligência Artificial e o que significa na prática.
 
 
 
O que é Inteligência Artificial e como está a evoluir?
 
 
A Inteligência Artificial designa a capacidade de uma máquina para reproduzir competências intrinsecamente humanas, como raciocínio, aprendizagem, planeamento e criatividade. Esta capacidade de aprendizagem autónoma faz com que a IA se consiga adaptar, através de uma análise dos efeitos das ações anteriores. 
 
 
O conceito de Inteligência Artificial não é particularmente novo. De facto, já está há muito presente no nosso quotidiano e é amplamente utilizada por várias empresas. Uma das mais conhecidas é a OpenAI, fundada por Elon Musk e Sam Altman em 2015, que desenvolve software que demonstra o potencial da tecnologia de forma prática. Um dos produtos que esta empresa criou, e que está a gerar uma elevada notoriedade mundial, é o ChatGPT (Chat Generative Pre-trained Transformer) – um chatbot que responde a qualquer pergunta do utilizador com uma precisão conversacional impressionante. Este robot consegue inclusivamente produzir prosa, poesia ou textos humorísticos a pedido, e até código de programação. Respondeu inclusive a 21 perguntas técnicas num exame de Direito, algumas com contexto moral. 
 
 
TEMPO PARA ATINGIR UM MILHÃO DE UTILIZADORES (MESES)
 
 
 
 
 
 
Tudo isto é possível através do recurso a Big Data, ou seja, à análise de grandes volumes de dados, em larga escala, que permitem a este chatbot ter um vasto conhecimento sobre a sociedade. As aplicações práticas desta tecnologia são vastas e cobrem praticamente todos os aspetos da vida humana. Como seria de esperar, o valor investido a nível mundial em empresas de Inteligência Artificial não pára de crescer, liderado pelos EUA e China que concentram a maior parte do talento, infraestrutura e liderança na área. 
 
 
VALOR INVESTIDO EM EMPRESAS RELACIONADOS COM INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL ($)
 
 
 
 

 
 
Merece ainda destaque o investimento que a Microsoft efetuou na empresa OpenAI, para acelerar os avanços da Inteligência Artificial. É clara, assim, a meta de disponibilizar os sistemas da OpenAI como plataforma para uso de qualquer entidade e qualquer indústria. Todos estes sinais parecem apontar que a Inteligência Artificial não só veio para ficar, como promete uma evolução em grande escala com potencial para transformar o mundo como o conhecemos. 

 
 
Como a Inteligência Artificial está a mudar o mundo dos investimentos
 
 
A Inteligência Artificial está a mudar a forma como os investidores tomam decisões. O desenvolvimento tecnológico permite efetuar análises preditivas autónomas, abrindo portas a decisões de investimento fundamentadas por algoritmos.  
 
 
Até agora, estes algoritmos conseguiam apenas tomar decisões passivas com base num conjunto estático de regras. A impressionante evolução no campo da Inteligência Artificial e Machine Learning está a fazer com que estes programas sejam capazes de investir de acordo com a experiência e os padrões de mercado. Por outras palavras, de alterar as regras e pressupostos em função da experiência real, num ciclo permanente de otimização e melhoria.
 
 
Mais do que isso, a tecnologia permite inclusivamente identificar padrões anteriormente desconhecidos nos mercados financeiros. Graças ao poder do Big Data, é possível analisar uma quantidade de dados mais vasta, em grande escala, processando padrões irreconhecíveis por um ser humano ou pela tecnologia tradicional. 
 
 
Mas o investimento em IA não significa "só” tomar decisões com base nas predições de algoritmos cada vez mais sofisticados e com capacidade de aprenderem sozinhos. Também oferece aos investidores oportunidades únicas de investir, direta ou indiretamente, nas empresas que estão a liderar esta transformação. 

 
 
Como investir em Inteligência Artificial 
 
 
O caso da Microsoft foi o mais mediático, mas muitas outras grandes empresas estão a fazer avultados investimentos em Inteligência Artificial. Aqui estão alguns exemplos de empresas promissoras que vale a pena considerar integrar no portfólio e das quais se espera uma valorização acelerada no futuro.
 
 
 
Meta Platforms Inc., a IA na base do metaverso 
 
 
Meta, a nova identidade do Facebook Inc., usa há muito Inteligência Artificial nos seus feeds e algoritmos para anúncios nesta rede social. Contudo, o seu trabalho está a ir mais além. A empresa de Mark Zuckeberg quer ser pioneira no Metaverso – motivo que levou até à mudança de nome – uma espécie de realidade virtual em que todos os aspetos são geridos por IA. Em apenas 6 meses, a cotação da empresa subiu cerca de 40%, apesar dos vários cortes de postos de trabalho. O futuro dirá se a aposta no Metaverso será justificada, mas para já a empresa segue a todo o vapor na linha da frente da tecnologia.
 
 
 
Salesforce, a IA para equipas comerciais
 
 
A Salesforce arrancou 2023 em grande, com uma valorização de aproximadamente 40%. A maior plataforma de CRM (Customer Relationship Management) do mundo e usa Inteligência Artificial para melhorar a relação das empresas com os clientes. A empresa desenvolveu o "Salesforce Einstein” que proporciona informações a equipas comerciais baseadas em Inteligência Artificial e Machine Learning que fundamentam estratégias e auxiliam a tomada de decisão.
 
 
 
Adobe, novos conteúdos com IA
 
 
Os serviços de Inteligência Artificial do gigante Adobe estão a ser viabilizados pela plataforma Adobe Sensei e estão a ajudar a resolver alguns dos maiores desafios das experiências digitais. Simplificam a criação e edição de fotografias e vídeos, e colocam nas pontas dos dedos de qualquer pessoa uma variedade de efeitos e funções até agora só disponíveis a designers profissionais. Resultado? Uma valorização acima de 11% desde o início do ano e perspetivas positivas.
 
 
 
IBM, o regresso de "Watson”
 
 
A IBM está a dar cartas no mundo da Inteligência Artificial. Um dos seus principais projetos passa pelo robot de atendimento ao cliente com qualidades humanas. Trata-se do "Watson Assistant”, que compreende as pessoas em diferentes contextos e fornece respostas rápidas, consistentes e precisas em qualquer aplicação, dispositivo ou canal. Obteve uma valorização moderada de 1% nos últimos 6 meses, ainda assim superior a marcas como Tesla.
 
 
 
Microsoft, aposta certeira na OpenAI
 
 
A Microsoft é a maior produtora de software do mundo em volume de negócios, e a segunda empresa mais valiosa do mundo, apenas atrás da Apple. Desde os tempos das versões iniciais de MS-DOS e Windows dos anos 80 e 90, a empresa evoluiu para o mundo dos motores de busca, hardware (como portáteis, smartphones, consolas e tablets) e até redes sociais, como o LinkedIn. Mas nos últimos tempos, é a aposta em IA que faz manchetes. O investimento feito na OpenAI revelou-se presciente. A tecnologia ChatGPT que já ultrapassou os 100 milhões de utilizadores, está já a ser incorporada no motor de pesquisa Bing para disputar a liderança (e receitas de publicidade digital) da Google e apresenta uma valorização de mais de 13% nos últimos seis meses.
 
 
 
Banco Carregosa, especialista em investimentos inteligentes
 
 
Acompanhar a evolução acelerada da IA pode ser desafiante, mesmo para os investidores mais experientes. As mudanças, como mostram os exemplos produzidos pela OpenAI, são claramente disruptivas e exigem conhecimento especializado. A equipa de especialistas do Banco Carregosa mantém-se na primeira linha de análise financeira, acompanhando de perto as transformações e adaptando as decisões estratégicas com pragmatismo e tendo em vista as melhores soluções para cada caso. Entre em contacto e beneficie do know-how dos nossos consultores para proteger e valorizar o seu património.